COMENTÁRIOS SOBRE BU-DO 2ª Parte

 
 
Shotokan Karate-Do International Federation Brasil – SKIF-BR – Escola de Karate Wankan – João Pessoa – Paraíba – Brasil – 2010


 
COMENTÁRIOS SOBRE BU-DO,

      O CAMINHO DAS ARTES MARCIAIS

                                                                         Shihan Aristarcho Pessôa

                                                          Continuação  –  Parte II

                                                         AS MÁXIMAS DO BUDOKA

Para atingir níveis cada vez mais altos de aperfeiçoamento, o Karateka-Budoka deve também refletir sobre o significado e praticar diariamente as seguintes máximas milenares:

 

SHINTO O MEKKYAKU SUREBA HI MO MATA SUZUSHI.

 
“Até as chamas são frias para aquele que limpa sua mente de reflexões desnecessárias”.

Esvazie sua mente de tudo o que for acessório e dispensável; use, então, sua maior força mental e lucidez para pensar e decidir objetivamente sobre o que for importante, útil e necessário.

Esta máxima inclui a noção de desprezo pela dor, importante para o karateka, que deve aprender a considerar a dor, apenas, como aliada, por ser um alarme que pode ser controlado e até desligado.

 

MANABITÉ OMOWAZAREBA SUNAWASHI KURASHI

     
“  O conhecimento de todos os livros do mundo tem valor insignificante
                     sem  a meditação e o raciocínio sobre o que se leu”.

Aplicado às Artes Marciais, esse aforismo de origem confuciana significa que não há ganho no treinamento superficial; a prática só é benéfica quando se busca continuamente alcançar o significado integral das coisas e sua aplicação. E somente pelo empenho dia após dia, aliando-se a prática esforçada, desprendida e constante ao estudo, à pesquisa e a reflexão, pode-se vir a ser um conhecedor respeitado por sua competência.

Esta máxima inclui a noção de que um Karateka  tem que conhecer e estudar outros estilos de Karate-Do e, também, outras Artes Marciais, refletindo sobre seu próprio estilo, acumulando experiências, aperfeiçoando sua habilidade.

 

MICHI NI OITÉ WA SHI O ITOWAZU

“Um Budoka nada teme, nem a própria morte”.

A aceitação da morte como parte do equilíbrio do Universo elimina o maior medo que o Ser Humano pode sentir no campo material. Encarar a morte como tendo o mesmo significado da vida possibilita desenvolver calma natural e determinação em qualquer combate.

Modernamente, o Karateka-Budoka deve desenvolver paz de espírito diante de qualquer embate, na luta e na vida cotidiana, e enfrentar as situações relaxado, sem precipitações, com determinação aliada à calma.

O treinamento de um praticante de Karate Bu-Do aumenta a percepção, a habilidade e a autoconfiança, diminuindo os riscos de ser atingido ou vencido.

O praticante, desde sua condição de iniciante, deve conscientizar-se de que os medos desequilibram o espírito, limitando a percepção e impedindo que se vejam as coisas e as situações de forma simples e objetiva; deve compreender que o medo é sombra e não substância.

Posturas equilibradas, exercícios respiratórios, de concentração de energia, de “esvaziamento” da mente e de relaxamento corporal, como parte do treinamento de Karate, desenvolvem em alto grau a capacidade de enfrentar  situações adversas sem sustos, medo ou raiva, com a serenidade de quem sabe  poder vencer e quer vencer, e não está preocupado com uma também possível derrota.

 

ZENGO SAIDAN

“Livre-se do passado e do futuro”.

Quando se estiver fazendo algo, deve-se fazê-lo plenamente. O tempo de viver é agora. Ocupar-se apenas com o que se tem à mão no momento, aumenta a concentração, evita as divagações e leva à obtenção de rendimento pleno.

Na prática do Karate-Do, a exigência de concentração total obriga o praticante a esquecer, por algum tempo, seus problemas e tensões e a colocar toda sua energia à disposição daquilo que realmente estiver fazendo no momento; o contrário, a dispersão de concentração e de energia, abre o caminho para ser atingido e ferido, ou mesmo vencido numa luta, além de impedir o aprendizado.

Numa situação de enfrentamento real, seja a negócios ou defendendo a própria vida, deixar de concentrar-se apenas e totalmente na situação presente significa a certeza da derrota.

 

MIZUKARA HIKUU SUREBA TATTOSHI.

“Respeito e humildade atraem respeito”.

Esta máxima se aplica ao relacionamento entre todas as pessoas em seu convívio rotineiro, sendo considerada fundamental para um Karateka, seja   entre   seus companheiros de DOJO, seja convivendo fora dele, e mesmo quando    enfrentando um adversário real.

Inclui a noção de que todo ser humano, ao perceber que é respeitado, sente-se bem e, mesmo quando não o faz conscientemente, arrefece sentimentos hostis e ímpetos agressivos. O respeito acompanhado da humildade autêntica – nascida da simplicidade e do realismo – demonstra a ausência de temor contribuindo para criar também o sentimento de respeito por parte do adversário ou oponente. Isto leva ao equilíbrio.

 

CHI-NI ITÉ RAN O WASUREZU.

“Manter-se pronto para a guerra mesmo em tempos de paz”.

Um Karateka deve estar sempre pronto para defender-se e contra-atacar.

Na vida cotidiana, deve-se estar preparado e em condições de fazer face a qualquer dificuldade, obstáculo ou sofrimento, mesmo quando pareça não existir ameaça de qualquer espécie.

Esta máxima inclui a noção de que um Karateka pratica e ensina as virtudes da moderação e da previdência, cuidando no presente de reservar os meios que possam assegurar futuro tranqüilo para si  e para aqueles por quem for responsável.

 

CONSIDERAÇÔES FINAIS

   

    Este escrito sobre BU DO, integrando conhecimentos fundamentais para um Faixa Preta, um YUDANSHA, apresenta características diversas de outros documentos onde se relacionem e/ou expliquem regras e técnicas de luta.

    Com este trabalho, dirigido especificamente aos  alunos da nossa Escola de Karate Wankan, espera-se despertar idéias e provocar reflexões sobre os caminhos passíveis de se trilhar para enriquecer e iluminar uma vida.

    A criatura humana, de infinito poder porque feita  à imagem de Deus, nasce e cresce com a chance de construir seu próprio aperfeiçoamento espiritual, intelectual e físico, e de colaborar para o aperfeiçoamento de todos que possa influenciar, contribuindo efetivamente para a PAZ MUNDIAL.

    Purificar e fortalecer o caráter individual contribui obviamente para a melhoria da mentalidade coletiva, o que se traduz, entre outras coisas, em redução dos conflitos e, por conseqüência, em maior satisfação para todos.  E quem tem chance tem dever.

    Um Karateka Budoka só justifica todo o seu aprendizado e toda sua habilidade quando os utiliza em prol de seus semelhantes e de sua sociedade.

    A mente forte e corajosa de um Karateka ordenará sempre que suas pernas treinadas o façam chegar mais rápido, e aonde outros não podem ou não querem ir, para estender seus braços e mãos fortes e adestrados a quem esteja precisando de socorro. Para tanto, terá que existir a coragem física, mas ela só é construtiva e incansável quando respaldada pela coragem moral.

    DEFENDER O CAMINHO DO BEM E DA VERDADE, um  dos  mandamentos  do  KARATE-DO, inclui possuir e empregar um profundo senso de justiça, tendo a coragem de lutar pelo que considerar certo, e de discordar e agir contra o que considerar errado. Não apenas ser, mas intervir.

    O discernimento, permitindo distinguir o certo e o necessário, exige conhecimento. Além disso, o BOM SENSO torna-se tanto mais útil e adequado quanto maior a sabedoria de quem o possui. Fortes razões essas pelas quais o Karateka necessita de estudo, muito estudo.

Nem sempre é fácil ser correto e, por vezes, isso traz sofrimentos, mas as recompensas, mesmo tardias ou abstratas, traduzem-se em satisfação espiritual e estatura moral superior, riquezas perenes que nada pode superar.

Com os alunos, que nos elegeram seus companheiros mais experientes na busca do conhecimento, os professores da Escola de Karate Wankan esperam aprender a cada chance de treinar e de conviver. Dos alunos, os professores esperam que se desenvolvam espiritual, intelectual e fisicamente, se aperfeiçoem  no Karate-Do e alcancem sucesso em suas vidas, como seres sociais úteis e respeitados.

                                                          
                                   
João Pessoa – Paraíba,  janeiro de 1997.
                  
                                         Aristarcho  Pessôa  Cavalcanti  de  Albuquerque Neto, 
  Shihan
       Instrutor Chefe da Escola de Karate Wankan

 

 Referências :

 – Furusho,Teruo. Aulas sobre BuDo, UNICAM – Universal Clube de Artes Marciais,Rio,1988.

 – Gishin, Funakoshi. Karate-Do Nyumon. Miami, Kodansha International Ltd, 1988.

 – Japan Travel Bureau. Martial Arts & Sports in Japan, Tokyo, 1993.

Kanazawa,H. Dynamic Power of Karate. Thousand Oaks: Dragon Books, 1986

 – Reid,H; Croucher,M.The Way of theWarrior: The Paradox of The Martial Arts. London: Century    Publishing Co. Ltd, 1983.

 


 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em DOUTRINA. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s